quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Um abraço no Bar do Jóia


O Bar do seu Jóia, escondido no velho Centro do Rio, fará 100 anos em janeiro

Amigos, nestes tempos de rápida proliferação de pastelarias e fast-food, alguns botequins históricos da cidade estão desaparecendo. Só nos últimos anos, numa rápida consulta a minha esmaecida memória, perdemos Café Aliança, Penafiel, Café Progresso, Pinhel, Bico Doce, Belmonte (o original), Lisboeta, Leiteria Gigi, Mandrake, entre muitos outros que me escapam agora. Além disso, há aqueles que passaram por reformas descaracterizadoras, que trocaram a velha chopeira por novas e pasteurizadas máquinas de chope; outros ainda que perderam em qualidade humana, com a saída de garçons e cozinheiros históricos... e por aí vai.

Entendo que a cidade se transforma e se, de um lado, desaparecem boas casas do ramo, do outro, o morador boêmio da cidade sempre encontra novas alternativas para brindar e jogar conversa fora com os amigos. Não quero transformar a idéia de botequins históricos num fetiche. Até porque a necessidade de boemia precisa ser saciada empiricamente. Mas, por outro lado, não posso me furtar, no plano estritamente pessoal e sentimental, a sofrer quando vejo algumas casas tradicionais tomando o rumo do fim.


A parede do Jóia, ainda com cartazes de décadas atrás

Por isso entendo e compartilho a iniciativa dos fregueses do Bar do seu Jóia, que fizeram um abraço simbólico àquela verdadeira instituição de uma certa boemia carioca, para expressar seu desejo que o bar continue vivo, apesar da morte recente de seu patriarca, o seu Jóia. Sua viúva, dona Alaíde, está tendo dificuldade para manter a casa, que exige cuidado e recursos além de sua capacidade. Esse botequim centenário guarda resquícios de um tempo que se esvai rapidamente e é inevitável sentir uma espécie de saudade e aflição, quando se percebe que com essa memória coletiva que se apaga, também acaba uma parte da nossa própria história pessoal.


Esta foto, feita por meu amigo Custódio Coimbra, um craque dos clics, me pegou em flagrante, saindo da cozinha do Jóia com um prato de feijoada, no dia do abraço

O Jóia, cujo nome formal é Café e Bar Rio Paiva, se esconde na rua da Conceição (esquina com Júlia Lopes de Almeida), próximo ao Colégio D. Pedro II, no Centro.

11 comentários:

Casé disse...

Paulo,

Onde encontramos essa jóia de botequim?

Abraços,

Casé

ipaco disse...

Salve, Casé. Pois é, falha minha. Esqueci de pôr o endereço. Bem aqui vai:

Seu Jóia se chamava Joaquim Nunes da Silva e o boteco, Café e Bar Rio Paiva, mas todo mundo chama de Bar do Jóia ou Bar do seu Jóia. Fica na Rua da Conceição esquina com Júlia Lopes de Almeida (atrás do Colégio Pedro II da Av. Mal. Floriano, no Centro).

Juarez Becoza disse...

Parabéns pelo blog, Paulo. Já está no meu favoritos.
Um abraço

ipaco disse...

Valeu, querido. Venha sempre.

Bruno Ribeiro disse...

Que beleza, Ipaco! Que beleza! E que saudade de suas visitas e comentários! Vou acompanhar de perto a tua espelunca. Um brinde!

ipaco disse...

Salve, Bruno. Chegue-se pro balcão, que a cerveja tá gelada!

Vanessa Souza Moraes disse...

Paulo,
Sou repórter do Informativo Malagueta, Newsletter semanal sobre gastronomia, enviada para mais de 12 mil assinantes da área (www.informativomalagueta.com.br)
Estou escrevendo uma matéria sobre o movimento para não fechar o Bar do Jóia.
Gostaria de te fazer umas perguntas sobre o tema. Tens disponibilidade?
Se a reposta for positiva, passe-me seu e-mail, por favor. Fecho essa matéria amanhã, no final do dia.
Atenciosamente,
Vanessa Souza Moraes

Vanessa Souza Moraes disse...

Meu e-mail é:

pauta@malaguetacomunicacao.com.br

manulunar disse...

Oi Paulo,

Adoro o Rio, sua história e seus botecos, claro. Tenho uma falha terrível na minha folha de prestação de serviços: ainda não fui no Bar do Jóia, que está na minha lista faz tempo. Abre no sábado?

Um abraço meu e beijo da Manu (cavaquinho)

R. Semblano disse...

opá amigo, boa noite!!!
gostei bastante do texto falando do bar do jóia, paço em frente todo dia indo e vindo do trabalho. e já por duas vezes quis parar ali, uma tava rolando um jazz e da outra vez a cerca de duas semanas, um chorinho, ambos muito bons.

vc sabe quando tem esses sons por lá? tem alguma data fixa???

abraços

Marcia disse...

Olá Sou de Curitiba e acabei de ouvir no jornal matéria sobre os botequins do rio e corri para o computador, pois na semana que vem irei ao rio e ficarei no centro da cidade, quero conhecer esse pedaço da cidade. Vc sabe me dizer se tem alguma programação fixa no Bar do Jóia, gostaria muito de ver uma roda de samba, ou qualquer outra manifestação carioca, menos baile funk!!!